Organização foi selecionada e um grupo de vinte entidades que executarão o projeto na região do semiárido.

A Fundação de Desenvolvimento Sustentável do Araripe participa da execução do Projeto Rural Sustentável da Caatinga, juntamente com mais duas organizações (Agrodóia e Centro Caatinga) na execução de ações para adoção de Tecnologias Agrícolas de Baixo Carbono, na Região do Araripe, mas precisamente com cooperativas e associações produtivas, formadas por pequenos produtores rurais, dos municípios de Exu, Moreilândia, Santa Crus e Santa Filomena, todas no estado de Pernambuco.

O PRS Caatinga chega ao estado, em evento aberto, com a presença de autoridades locais, associações, organizações e órgãos públicos e convidados, na próxima segunda-feira (22), às 8h, na sede do Centro Caatinga, em Ouricuri-PE.

A programação, será iniciada no dia 19, em Exu-PE, com oficina de gestão e elaboração do plano de trabalho que será executado com o objetivo de implementar Tecnologias de Baixo Carbono(TecABC). A organização garante as medidas de segurança para evitar o contaminação pelo Covid-19 e adotou o distanciamento social, o uso de máscara e de álcool.

Técnica e Extensão Rural (ATER) da Fundação Araripe e da região participaram do curso de especialização, “Tecnologias de Baixa Emissão de Carbono: Fortalecendo a Convivência com o Semiárido”, do Programa de Capacitação do Projeto e ministrado pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF).

O Programa vem capacitando vários técnicos e a meta de oferecer o curso para 125 alunos, já prevê que esse número chegará a 600 , brevemente. Com a conclusão do curso, os técnicos trabalhar com as organizações, fortalecendo os Arranjos Produtivos Locais Sustentáveis, em cinco estados – Alagoas, Bahia, Pernambuco, Piauí e Sergipe, atendendo 37 municípios.

O Programa Rural Sustentável da Caatinga

O PRS Caatinga trabalha para evitar as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), combater a pobreza e aumentar a renda de produtores no semiárido. A iniciativa começou em 2020 e investiu na qualificação de organizações prestadoras de serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), como estratégia para qualificar o trabalho destes profissionais, que compartilham novos conhecimentos com os produtores.

É uma iniciativa financiada pelo Fundo Internacional para o Clima do Governo do Reino Unido, em cooperação com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), tendo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como beneficiário institucional. A execução do PRS Caatinga é realizada pela Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS).