Projeto GEF Terrestre

O Projeto “Semeando Conhecimento aa Caatinga para o fortalecimento das Cadeias Produtivas Associadas a Recuperação da Biodiversidade”, no âmbito do projeto estratégias de conservação, restauração e manejo para a biodiversidade da Caatinga, Pampa e Pantanal (GEF Terrestre).

Sendo coordenado pela Secretaria de Biodiversidade (SBio) do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e terão o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), como agência executora e recursos advindos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) – Agência implementadora do Projeto, pelos próximos 18 meses, na Bio-região do Complexo do Araripe ( Municípios de Porteira, Jardim, Barbalha, Crato, Santana do Cariri, no Estado do Ceará e Trindade, Exu e Granito no Estado de Pernambuco.

O objetivo do projeto visa implementar ações de recuperação ambiental para a APA Chapada do Araripe incorporando a conservação e uso sustentável da biodiversidade às práticas produtivas, para reverter o processo de degradação dos recursos naturais conservando as paisagens, sua biodiversidade e os serviços ecossistêmicos, fortalecendo a socioeconomia regional.

E, ainda, melhorar as práticas de produção agrosivipastoris e a coleta, beneficiamento e armazenamento de sementes florestais nativas e a produção de mudas de espécies florestais nativas prioritária e em extinção na APA Chapada do Araripe, fortalecendo a economia regional e possibilitando a implantação dos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável da ONU.

A Fundação Araripe, tem como parceiros a Associação Cristã de Base (ACB) e a Associação dos/as Agricultores/as Familiares da Serra dos Paus Dóia (AGRODÓIA), entre outras, e juntos irão promover a mobilização, a sensibilização e capacitação de multiplicadores rurais para difusão de tecnologias, que permitirá o desenvolvimento de um trabalho de conscientização das populações e dos agentes, com o objetivo de reverter os problemas de conservação da  biodiversidade.

A intenção é criar referencias para as populações das áreas degradadas (susceptíveis a desertificação), no Nordeste, de boas práticas de manejo integrado do solo e da vegetação para a conservação das paisagens e dos serviços ecossistêmicos, junto as comunidades extrativistas no período de 18 messes, que permitam a conservação da biodiversidade e superação de ameaças as espécies nativas.

Nesse sentido, a estratégia consiste em demonstrar por meio de pesquisa aplicada e de capacitação como frear os processos de degradação por meio de demonstração das boas práticas de conservação da biodiversidade.

A Proposta visa alcançar seu objetivo por meio da aplicação de estratégia de tecnologias dirigidas a promover a conservação das paisagens, da biodiversidade  e dos serviços ecossistêmicos, a segurança hídrica, alimentar e energética das comunidades e de seus criatórios, baseada em quatro grupos de ação:

    • Recuperação de Áreas Degradadas;
    • Produção Sustentável;
    • Capacitação dos atores locais;
    • Processo de comunicação e difusão.

GEF Terrestre

O Projeto Estratégias de Conservação, Restauração e Manejo para a Biodiversidade da Caatinga, Pampa e Pantanal  atua nos três biomas com menor representatividade no Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC): o Pampa com 2,9% de áreas protegidas, o Pantanal 4,6% e a Caatinga 9%.